O salário mínimo do México subirá quase 10% no domingo, uma medida do governo que deve alimentar o poder de compra dos trabalhadores mais pobres, que foi corroído por recessões e episódios passados de alta inflação.

Mas a perspectiva de maiores ganhos tem tido pouco efeito no pessimismo entre os consumidores, que em 2017 devem enfrentar aumento dos custos de combustível, taxas de juros mais elevadas e uma moeda enfraquecida que fechou 2016 perto de mínimas históricas em relação ao dólar.

Os líderes trabalhistas, governamentais e empresariais da Comissão de Salários Mínimos concordaram em elevar o salário mínimo diário para 80 pesos mexicanos, ou cerca de US $ 4, de 73 pesos anteriormente. A comissão dividiu o aumento em duas partes: Quatro pesos por dia para repor a inflação, em cima disso, 3,9%. A medida interrompe uma série de aumentos anuais que ficaram praticamente em linha com o avanço dos preços.

As autoridades esperam que os 3,9% a mais sejam usados como referência para outras negociações salariais, evitando o chamado efeito de farol onde o salário mínimo aumenta as demandas de combustível em todos os níveis e ameaça uma espiral de salários inflacionários. Fonte: Dow Jones Newswires.