Milhares de pessoas participaram na Turquia neste domingo do funeral do advogado curdo Tahir Elci, de 49 anos, famoso por sua luta na defesa dos direitos humanos. Ele morreu em um tiroteio envolvendo policiais neste sábado na cidade de Diyarbakir, enquanto participava de uma coletiva de imprensa.

O primeiro-ministro da Turquia, Ahmet Davutoglu, disse que as autoridades estão investigando se o ataque tinha Elci como alvo ou se ele morreu no fogo cruzado entre os policiais e supostos assaltantes. Ele prometeu uma investigação “transparente”. Já o líder do partido Pró Curdos, Selahattin Demirtas, disse que o advogado foi vítima de um “assassinato político”.

Elci propagava a paz entre os rebeldes curdos e as forças de segurança do governo turco. Ele ficou brevemente preso no mês passado, após dizer durante um programa de TV que o Partido dos Trabalhadores do Curdistão (PKK) não era uma organização terrorista. Ele virou alvo de uma acusação criminal por “propaganda terrorista” e poderia ser condenado a até sete anos de prisão. O PKK luta pela autonomia no sudeste da Turquia desde 1984.

Durante o tiroteio, um policial também morreu e outros dois ficaram feridos, além de um jornalista. Não está claro quem está por trás do ataque ou qual a motivação do crime. O ministro do Interior, Efkan Ala, disse que o objetivo dos ataques eram os policiais, mas a associação dos advogados de Diyarbakir afirma que Elci era o alvo. O advogado vinha dizendo em sua conta no Twitter que estava recendo ameaças de morte.

As autoridades declararam toque de recolher no bairro de Sur, onde os conflitos entre policiais e jovens curdos são frequentes. Mesmo assim, protestos foram realizados em Diyarbakir e outras cidades. A polícia usou canhões de água para dispersar a multidão, que respondeu com pedras e fogos de artifício.

A embaixada dos EUA na Turquia expressou surpresa com a morte de Elci, classificando o advogado como “um corajoso defensor dos direitos humanos”. “Nossas condolências para a família dele e do policial assassinado e para toda a Turquia. É uma perda terrível”, escreveu o corpo diplomático em sua conta no Twitter. Fonte: Associated Press.