Dezenas de milhares de albaneses fizeram um protesto silencioso e pacífico pelas ruas da capital Tirana hoje, em memória a três manifestantes mortos em choques com a polícia na semana passada. Centenas de policiais protegiam os principais prédios do governo, temendo uma repetição dos tumultos, que além dos mortos deixaram mais de 150 feridos, a maioria manifestantes, embora também policiais.

A marcha foi liderada pelo político socialista Edi Rama e por parentes das vítimas mortas. A porta-voz dos socialistas, Armela Ymeraj, disse que 200 mil manifestantes foram às ruas. Foi difícil obter uma confirmação independente e a polícia não forneceu estimativa sobre o número de manifestantes. “Enquanto a causa do protesto de 21 de janeiro existir, nossas manifestações continuarão”, disse o parlamentar socialista Saimir Tahiri.

A tensão permanece alta na Albânia, após o vice-primeiro-ministro Ilir Meta ter renunciado ao cargo, depois de acusações de que ele tentou influenciar uma licitação do governo para a construção de uma usina hidrelétrica. A oposição pede a renúncia do primeiro-ministro Sali Berisha, líder do Partido Democrático (centro-direita). Berisha acusa a oposição de tentar um “golpe de Estado”. As informações são da Associated Press.