Pelo menos 61 mineiros ilegais foram encontrados mortos em uma mina de ouro abandonada, informou hoje a polícia sul-africana. Os corpos foram encontrados por outros mineiros que atuam na área, que fica na região central do país. No fim de semana, foram localizados 36 corpos e hoje, outros 25. A informação foi divulgada pela mineradora Harmony Gold, que operava a mina atualmente desativada. Segundo a polícia, pode haver mais vítimas.

Um porta-voz da polícia disse que as mortes podem ter ocorrido após os mineiros inalarem um gás venenoso algumas vezes presente nas minas. O problema da exploração irregular de minas na África do Sul é grande, com muitas pessoas buscando riquezas em meio à perigosa rede local de túneis.

As mortes, porém, dificilmente deterão milhares de outros de atuar na prática lucrativa, porém perigosa, de explorar minas desativadas. Aproximadamente 25% dos sul-africanos estão desempregados e em busca de ao menos um bico.

A África do Sul é um dos maiores produtores de ouro do mundo. Os mineiros ilegais, muitas vezes chamados de “piratas do ouro”, são contratados por redes do crime organizado que conseguem aproximadamente US$ 250 milhões anualmente em ouro. Segundo o sindicato sul-africano Solidariedade, 81 pessoas já morreram neste ano nessa atividade.