O Ministro de Relações Exteriores da Tunísia, Kamel Morjane, anunciou hoje sua renúncia, segundo informaram meios de comunicação oficiais. Manifestantes continuam protestando nas ruas, pedindo que membros do regime do presidente deposto Zine El Abidine Ben Ali deixem o governo transitório.

“Eu decidi renunciar às minhas funções no Ministério de Relações Exteriores e desejo sucesso aos que farão parte do governo durante este período de transição”, disse Morjane em comunicado. Segundo a agência estatal TAP, Morjane afirmou que renunciou “pelo interesse da Tunísia”, para ajudar que a “revolta popular” leve à maior liberdade no país. O ministro caiu em descrédito por causa das ligações de sua família com Ben Ali. Ele foi um líder da União Democrática Constitucional, partido que dominou a Tunísia por décadas.

Morjane foi um dos oito ministros, incluindo o primeiro-ministro Mohammed Ghannouchi, que permaneceu no governo após a queda de Ben Ali. O governo interino inclui alguns líderes opositores, mas muitos dos principais cargos continuam nas mãos de pessoas ligadas ao ditador deposto. As informações são da Associated Press e da Dow Jones.