O ministro do Petróleo do Irã reiterou neste sábado que está otimista de que a Organização dos Países Exportadores de Petróleo (Opep) pode chegar a um acordo para um corte na produção, mas afirmou que só tornaria sua posição conhecida na reunião de quarta-feira.

A Opep deve discutir a proposta de corte na produção em cerca de 1,1 milhão de barris por dia quando se reunir. O objetivo é impulsionar os preços e reduzir os estoques.

Na última terça-feira, o Irã e o Iraque expressaram preocupação com a escala das reduções que seriam exigidas por parte deles. Depois disso, a Arábia Saudita cancelou sua participação na reunião de segunda-feira para discutir cortes coordenados com a Rússia e outros países fora da Opep, dizendo que o cartel deveria resolver suas diferenças primeiro.

Falando após a reunião com o ministro de Energia da Argélia, Nourredine Bouterfa, no Teerã, o ministro de petróleo, Bijan Zanganeh, disse que “a tendência geral e as sugestões públicas de que a Opep pode chegar a um acordo viável para sua produção e administração do mercado”.

O Irã tem sustentado que quer impulsionar a produção para os níveis de antes das sanções, de 4 milhões de barris por dia. O Iraque disse que está pronto para se unir ao acordo, mas contesta alguns números.

Boouterfa também disse que os preços podem subir para entre US$ 55 e US$ 60 por barril no próximo ano caso o grupo chegue a um acordo. Fonte: Dow Jones Newswires.

By Benoit Faucon

Iran’s oil minister reiterated Saturday he was optimistic OPEC would reach an agreement on an oil-production cut but said he would only make his position known at Wednesday’s meeting, after tensions over who should shoulder the burden re-emerged in recent days.

The Organization of the Petroleum Exporting Countries is set to discuss a proposal to cut its production by about 1.1 million barrels a day when it gathers to bolster oil prices and draw down high inventories.

But on Tuesday, Iran and Iraq expressed reservations on the scale of the reductions that would be required from them. Afterwards, Saudi Arabia cancelled its attendance of a Monday meeting to discuss coordinated cuts with Russia and others outside OPEC, saying the cartel should sort out its differences first.

Speaking after meeting Algerian Energy Minister Nourredine Bouterfa in Tehran, Iran’s oil minister, Bijan Zanganeh, said “we are to present our views about this proposal” at the meeting Wednesday in Vienna. “The general trend and public statements suggest that OPEC can reach a viable agreement for its production and market management,” he was quoted as saying by his oil ministry’s news agency, Shana.

Iran has always maintained it wants to boost production to its pre-sanctions level of 4 million barrels a day. Iraq has said it is ready to join a production cut but disputes the OPEC numbers that would be used for the baseline.

Algeria’s Mr. Bouterfa also said prices could rise to between $55 and $60 a barrel next year if an OPEC agreement is reached but would stand below $50 a barrel if not.

O ministro do Petróleo do Irã reiterou neste sábado que está otimista de que a Organização dos Países Exportadores de Petróleo (Opep) pode chegar a um acordo para Juma redução na produção, mas afirmou que só tornaria sua posição conhecida na reunião de quarta-feira.

A Opep deve discutir a proposta de corte na produção em cerca de 1,1 milhão de barris por dia quando se reunir. O objetivo é impulsionar os preços e reduzir os estoques.

Na última terça-feira, o Irã e o Iraque expressaram preocupação com a escala das reduções que seriam exigidas por parte deles. Depois disso, a Arábia Saudita cancelou sua participação na reunião de segunda-feira para discutir cortes coordenados com a Rússia e outros países fora da Opep, dizendo que o cartel deveria resolver suas diferenças primeiro.

Falando após a reuniao