O presidente da Bolívia, Evo Morales, foi calorosamente aplaudido ao acusar o capitalismo de estar ameaçando de “extermínio” a humanidade. Em discurso no Terceiro Fórum Aliança de Civilizações das Nações Unidas, no Rio de Janeiro, Morales disse que “o capital” está criando no mundo uma “anticivilização” que, segundo ele, “nos transformou em meros consumidores”.

O presidente da Bolívia criticou a conquista europeia da América ocorrida ha mais de 500 anos. “Construíram igrejas para apagar a nossa memória”, disse ele, acrescentando que “civilizações europeias foram construídas às custas do sangue e do ouro do nosso continente”. Para Morales, hoje, “o desafio imediato é salvar a humanidade e a natureza do capitalismo”.