A quarta rodada de negociações entre partidos políticos na Itália para a formação de uma coalizão de governo sugere que um acordo entre o novato Movimento 5 Estrelas e o Partido Democrata para a formação de uma aliança pode ser possível, mas ainda há obstáculos importantes. O presidente da Itália, Sergio Mattarella, pediu ao presidente da Câmara dos Deputados, Roberto Fico, que mediasse as consultas e focasse em diferentes resoluções para o caso de as ligações entre os partidos falharem.

“Meu mandato termina hoje com um resultado positivo. Um diálogo entre o Partido Democrata e o 5 Estrelas começou”, disse Fico, depois de se reunir com Mattarella para relatar as consultas que manteve com as duas siglas.

Embora os democratas tenham reconhecido nesta quinta-feira que houve avanços importantes em seu relacionamento com o Movimento 5 Estrelas, o grupo precisa resolver as divisões internas entre os que defendem um acordo com a sigla populista para formar um governo e aqueles liderados pelo ex-primeiro-ministro Matteo Renzi, que rejeita a ideia. O possível acordo entre os dois partidos, que foram adversários nos últimos cinco anos, também incomodou alguns apoiadores do 5 Estrelas, que se queixaram veementemente nas redes sociais.

O Partido Democrata disse que realizará uma reunião de seus principais líderes em 3 de maio para decidir se iniciará negociações com o 5 Estrelas, em um pacto que sustente uma coalizão entre os dois. As eleições de 4 março produziram um Parlamento dividido em três blocos, sem que um único grupo tivesse votos suficientes para governar sozinho. Fonte: Dow Jones Newswires.