Em mais um revés para o governo do ditador líbio, Muamar Kadafi, os organizadores dos Jogos Olímpicos anunciaram ontem que vão adiar a entrega dos ingressos para o Comitê Olímpico da Líbia até a proximidade da Olimpíada de 2012, em Londres, para ter “absoluta certeza” de que eles cairão nas mãos certas.

O fato de um dos filhos de Kadafi, Mohamad, ser o diretor do Comitê Olímpico da Líbia provocou o temor de que os dois poderiam tentar entrar na Grã-Bretanha para os Jogos.

“Kadafi, seu filho e 13 membros-chave do governo líbio estão proibidos de entrar na União Europeia e não poderão vir para os Jogos Olímpicos”, disse uma porta-voz do Departamento de Cultura, Mídia e Esportes da Grã-Bretanha. O ditador está sendo acusado no Tribunal Penal Internacional, em Haia, de cometer crimes de guerra pela violenta repressão ao levante contra seu governo.

O comitê organizador britânico é obrigado a fornecer ingressos aos 205 países-membros do Comitê Olímpico Internacional (COI) que fizerem as solicitações, independentemente de considerações diplomáticas ou políticas. As informações são do jornal O Estado de S. Paulo.