O chargista Guillermo Torres e o escritor Manel Fontdevila foram condenados nesta terça-feira (13) a pagar uma multa correspondente a US$ 4.370 pela publicação de uma charge em que satirizaram o príncipe da coroa espanhola, Felipe, tendo relações sexuais com sua esposa, a princesa Letícia. O desenho foi publicado na capa da revista humorística El Jueves em julho. A sátira aludia a uma recente medida do governo espanhol para incentivar a natalidade, ao oferecer US$ 3.640 a cada família que tiver mais um filho ou adotar uma criança. No cartum, o príncipe diz à princesa: "Você percebe que, se ficar grávida, isso será a coisa mais próxima a um trabalho real que eu fiz na minha vida?

Na época, um juiz ordenou que a revista fosse confiscada das bancas, sob o argumento que havia insultado a família real. A revista El Jueves tem um tiragem de 70 mil exemplares. Os cartunistas disseram que não pretendiam ofender a família real, mas adiantaram no julgamento que desenhariam novamente a sátira. Desde então, fizeram outros cartuns ironizando a realeza espanhola. Nesta terça-feira, o juiz José Maria Vázquez Honrubia, da Corte Nacional, disse que os dois "caluniaram a coroa da maneira mais gratuita e desnecessária" e decidiu multá-los. Fontdevila criticou a decisão do juiz como injusta, chamando-a de "surpreendente, vinda de uma corte que deveria ser importante neste país".