O presidente dos Estados Unidos, Barack Obama, se reuniu com líderes da Etiópia nesta segunda-feira para conversas sobre iniciativas contra o terrorismo, direitos humanos e questões regionais

de segurança, incluindo a crise no vizinho Sudão do Sul.

A visita de Obama marca a primeira visita de um presidente norte-americano na Etiópia. Ele chegou ao Palácio Nacional na capital, Addis Ababa, para uma reunião bilateral com o primeiro-ministro Hailemariam Desalegn, seguido por uma coletiva de imprensa conjunta.

Em seguida, Obama convocou uma reunião com líderes africanos para conversar sobre a situação no Sudão do Sul, que enfrenta uma guerra civil há meses, estimulado por um conflito que começou em 2013 entre facções do exército, dividido pela rivalidade entre o presidente, Salva Kiir, e seu ex-vice, Riek Machar. Várias milícias se juntaram de cada lado, gerando intensos conflitos e massacres.

O Sudão do Sul tem até 17 de agosto para aceitar um acordo de paz e de partilha de poder, mas autoridades dos EUA dizem estar pessimistas se um acordo será feito.

Obama chegou à Etiópia no domingo à noite, após uma paragem no Quênia, terra natal de seu falecido pai.

Como o Quênia, a Etiópia tem uma economia em rápido crescimento, mas enfrenta desafios como a ameaça do grupo terrorista al-Shabab, que tem a base na fronteira com a Somália. A Etiópia tem

parceria com os EUA na luta contra o terrorismo, nos serviços de inteligência e envio de tropas para a Somália para enfrentar a instabilidade. Fonte: Associated Press.