O presidente do Banco do Japão (BoJ), Haruhiko Kuroda, rebateu, nesta sexta-feira, as críticas sobre o programa de relaxamento quantitativo (QE, na sigla em inglês) implementado pela instituição que comanda. Segundo ele, o programa de estímulos, que “teve a força de dez cortes de juros”, está ajudando a revigorar a economia.

Kuroda, que discursava em um seminário, afirmou que a inflação perto de zero no país é um fenômeno temporário. “A tendência da inflação subjacente está constantemente melhorando e assim deve continuar”, disse. “Neste momento, eu não acredito que novas rodadas de estímulo são necessárias.”

Os comentários do dirigente acontecem no momento em que a performance da economia japonesa insiste em permanecer abaixo da expectativa de analistas e também do banco central, o que tem elevado dúvidas sobre a efetividade do estímulo.

O presidente do BoJ, no entanto, disse esperar que a economia se recupere moderadamente, e que a inflação anual atinja a meta de 2% perto de setembro de 2016, após os efeitos do petróleo mais barato se dissiparem.

Ele também descartou que a elevação dos juros pelo Federal Reserve (Fed, o banco central dos Estados Unidos) possa trazer danos. “A elevação dos juros pelo Fed não prejudicará os EUA ou o mundo”, disse. Fonte: Dow Jones Newswires.