O principal negociador nuclear do Irã, Ali Akhbar Salehi, fez uma avaliação bastante otimista nesta terça-feira a respeito das negociações sobre o programa nuclear de Teerã com Estados Unido e seu parceiros, realizadas na Suíça.

Agora em sua segunda extensão, as negociações avançaram nas últimas semanas. Os lados se aproximaram de um acordo sobre as limitações das atividades nucleares iranianas que podem levar à fabricação de armas nucleares. Em troca, o Ocidente deve levantar, progressivamente, as sanções econômicas e políticas impostas ao Irã.

Ainda assim, as declarações de Salehi estão entre as mais promissoras até agora. “As principais questões foram fechadas”, disse ele à televisão estatal iraniana. “Eu espero que no tempo restante possamos encerrar isso.”

Em declarações separatas feitas a repórteres em Lausanne, ele disse que faltava acordo sobre um “item final”. Se isso for resolvido, “podemos dizer que, em questões técnicas, as coisas estão claras dos dois lados”.

“Obviamente há muitos detalhes, mas eu posso dizer, como um todo, que estou otimista” a respeito de um acordo antes do prazo final, disse ele.

Os lados trabalham para cumprir duas datas. Primeiro, um acordo estrutural nas próximas duas semanas, que deve estabelecer as linhas gerais de um acordo final, que deve ser concluído até o final de junho.

Um graduado funcionário norte-americano estava menos otimista, dizendo que os lados haviam feito progressos, mas que ainda havia muito a fazer até eliminar as diferenças sobre o que Teerã terá de fazer para o fim gradual das sanções.

O secretário de Estado norte-americano John Kerry e o ministro de Relações Exteriores iraniano Mohammad Javad Zarif lideram as negociações que envolvem, de um lado, o Irã ,e do outro Estados Unidos, Rússia, China, Reino Unido, França e Alemanha, grupo também conhecido como P5+1.

A maior parte das desavenças se concentram em questões técnicas, como o número de centrífugas que o Irã poderá operar. Essas máquinas têm capacidade para enriquecer urânio em níveis que podem permitir a fabricação de um ogiva para armas nucleares, mas o Irã diz que o propósito do programa é gerar energia e permitir pesquisas médicas e científicas.

Salehi e o secretário de Energia norte-americano Ernest Moniz se juntaram às negociações no mês passado para tentar resolver as diferenças técnicas.

Kerry e Zarif reuniram-se por quase cinco horas na cidade suíça de Lausanne na segunda-feira, antes de os iranianos se dirigirem para Bruxelas, para conversações com negociadores europeus.

Em Bruxelas, a chefe da diplomacia da União Europeia (UE), Federica Mogherini, declarou que “estamos entrando num período crucial, duas semanas cruciais”. O ministro de Relações Exteriores da Alemanha, Frank-Walter Steinmeier, disse que depois de “mais de 10 anos de negociações, devemos aproveitar esta oportunidade”. O secretário de Relações Exteriores do Reino Unido, Philip Hammond, declarou que os dois lados estão comprometidos com as negociações. Fonte: Associated Press.