O primeiro-ministro de Israel, Benjamin Netanyahu, disse hoje que seu país está pronto para voltar a negociar a paz com o presidente da Autoridade Nacional Palestina (ANP), Mahmoud Abbas, até que eles cheguem a um acordo. As declarações são uma aparente tentativa de retomar as negociações diretas, interrompidas há vários meses.

Abbas já afirmou várias vezes que Israel precisa suspender as construções nos assentamentos judaicos na Cisjordânia e em Jerusalém Oriental antes que as conversas sejam retomadas. Netanyahu recusou a condição, mas se disse pronto a discutir todas as questões “centrais” com Abbas. Entre esses tópicos está a demarcação de uma fronteira definitiva entre Israel e o futuro Estado palestino, o destino de milhões de refugiados palestinos que vivem no exterior e a solução do status da cidade de Jerusalém, que ambas as partes reivindicam como capital.

Durante o fim de semana, Abbas disse que um acordo de paz poderá ser alcançado em dois meses se Netanyahu mostrar “boa vontade”. Ele sugeriu que o primeiro-ministro israelense adote as posições mais maleáveis do seu antecessor, Ehud Olmert. “Nós estávamos próximos a um acordo”, disse Abbas sobre as negociações mantidas com Israel quando Olmert era premiê. “A posição palestina é clara para os israelenses e a posição israelense apresentada por Olmert é clara para nós”.

Após deixar o governo, Olmert afirmou que em 2008 ele ofereceu aos palestinos a Cisjordânia inteira e bairros de Jerusalém Oriental. Logo depois, contudo, as negociações entraram em impasse. As informações são da Associated Press.