O vice-presidente da Venezuela, Nicolás Maduro, foi empossado oficialmente como presidente em exercício do país na última sexta-feira (08). Durante o juramento, Maduro se afirmou filho ideológico de seu mentor e predecessor, Hugo Chávez. “Ficamos totalmente satisfeitos com o líder, o chefe que tivemos”, disse após ser anunciado como presidente em exercício pelo líder da Assembleia Nacional, Diosdado Cabello.

Em seu primeiro ato como presidente, Maduro convocou para o cargo de vice o ministro de Ciência e Tecnologia, Jorge Arreaza, que é casado com uma das filhas de Chávez.

 

Maduro será, ao mesmo tempo, líder temporário e candidato presidencial. O Supremo Tribunal da Venezuela decidiu essa condição na sexta-feira (08), afirmando que “durante as eleições para o Presidente da República, o presidente em exercício não é obrigado a separar-se do cargo.”

 

Membros da oposição boicotaram a cerimônia e afirmam que a condição de Maduro é inconstitucional, já que ele está ocupando dois cargos ao mesmo tempo. O atual presidente em exercício também recebeu críticas do líder da oposição, Henrique Capriles, seu adversário mais provável nas eleições antecipadas esperadas para o próximo mês. O chamado oficial ainda deve ser anunciado pelas autoridades do país. “Estamos prontos para as eleições, sem medo”, disse Maduro, após ligar para o Conselho Nacional Eleitoral para agendar a votação. As informações são da Dow Jones.