Um líder islamita moderado fez o juramento e tomou posse como novo presidente da Somália neste sábado, após ter sido eleito pelo Parlamento para estabilizar um país destruído pela violência e anarquia por quase 20 anos. O xeque Sharif Sheik Ahmed foi eleito na manhã deste sábado em Djibouti, depois que o último presidente, o ex-soldado rebelde Abdullahi Yusuf, renunciou em dezembro por fracassar em levar a paz ao país durante seus quatro anos de mandato.

Mais de 1,2 mil pessoas, incluindo o novo Parlamento da Somália, participaram da cerimônia de juramento em um hotel em Djibouti. Ahmed era líder da oposição moderada Aliança para a Nova Libertação da Somália (ARS). A vitória dele levanta esperanças de que ele trará muitas das facções islâmicas da Somália para um governo mais inclusivo.

Mas o governo apoiado pelo Ocidente tem pouco controle sobre a Somália. Um grupo de insurgentes islâmico intitulado al-Shabab, que diz não reconhecer o governo, tomou o controle de boa parte do país. Os EUA consideram o al-Shabab uma organização terrorista ligada a al Qaeda.

O Parlamento da Somália se reuniu durante toda a semana em Djibouti para escolher o novo presidente. Sharif ganhou facilmente, com 293 votos, após o candidato que vinha liderando, o primeiro-ministro, ter desistido. O segundo lugar recebeu 126 votos. As informações são da Associated Press.