O número de mortes no duplo ataque suicida que ocorreu ontem em um subúrbio xiita no sul de Beirute, no Líbano, subiu para 43, com o número de feridos passando de 200, segundo informações de autoridades libanesas, quebrando uma relativa calma que se manteve por mais de um ano, apesar

a guerra civil furiosa ao lado, na Síria.

Escolas e universidades em todo o Líbano estavam fechadas nesta sexta-feira, enquanto o país lamentava as vítimas dos atentados.

O grupo extremista Estado Islâmico reivindicou o ataque ao predominantemente bairro xiita de Burj al-Barajneh. O distrito é povoado em parte pelo grupo Hezbollah.

Na sexta-feira, peritos forenses estavam trabalhando na área, que foi isolada pelas forças de segurança. Moradores e proprietários de lojas limpavam a área que ficou repleta de vidros quebrados e outros detritos. O primeiro suicida detonou seu colete com explosivos fora de uma mesquita xiita, enquanto o segundo explodiu dentro de uma padaria vizinha.

O Líbano, um pequeno país mediterrâneo com uma história de guerra civil, teve atentados suicidas em 2013 e 2014, mas o duplo atentado de ontem foi o primeiro desde meados de 2014. O ataque também foi um dos mais mortais. Fonte: Associated Press.