O governador de Nova York, Andrew Cuomo, anunciou neste sábado o desdobramento de caminhões militares de distribuição de gasolina com o objetivo de combater a crescente escassez de combustível como consequência dos estragos causados pela tempestade “Sandy”.

O agravamento da provisão de gasolina se transformou em um dos principais problemas em uma região na qual o frio aumenta a cada dia e milhões de pessoas seguem sem eletricidade e calefação.

Em Nova Jersey, o governador Chris Christie anunciou na noite passada que em uma dúzia de condados do norte se limitará a provisão de gasolina em função do último número da placa e do dia do mês.

Os caminhões se desdobrarão em cinco pontos, alguns deles nos mais afetados da região de Nova York, e distribuirão gasolina diretamente da cisterna aos veículos, com um limite de 10 galões (38 litros) por cada um.

Na cidade de Nova York, as filas nos postos de gasolina se estenderam durante várias horas. Um posto de gasolina da Primeira Avenida tinha na noite passada uma fila de 13 ruas de extensão, e nesta manhã um carro da polícia anunciava por seu megafone aos motoristas que já não restava combustível.

Em Washington, a Agência de Logística de Defesa anunciou que comprará 27,7 milhões de litros de gasolina e diesel para enviar às áreas mais atingidas pela tormenta e complementar a ação do setor privado.

Cuomo pediu aos nova-iorquinos que “não tenham pânico”, já que a reabertura do porto de Nova York já permite a chegada de navios cisterna com combustível para sua distribuição.

Enquanto isso, aproximadamente 2,2 milhões de usuários dos estados de Nova York, Nova Jersey e Connecticut seguem sem eletricidade.

Todo o sul da ilha de Manhattan recuperou a provisão, anunciou Cuomo em entrevista coletiva, na qual voltou a pedir às empresas elétricas que melhorem seu funcionamento.

“Os cidadãos estão insatisfeitos. Pagam suas contas e querem eletricidade”, ressaltou o governador.

Cuomo afirmou ainda que 80% do serviço de metrô de Nova York já está funcionando.