Os guerreiros da luz mantêm o brilho nos olhos.

Estão no mundo que Deus lhes entregou, fazem parte da vida de outras pessoas, e começaram suas jornadas sem alforge e sem sandálias. Muitas vezes são covardes. Nem sempre agem certo.

Os guerreiros da luz sofrem por coisas inúteis, tem atitudes mesquinhas, e às vezes se julgam incapazes de crescer. Freqüentemente acreditam-se indignos de qualquer bênção ou milagre.

Os guerreiros da luz nem sempre têm certeza do que estão fazendo aqui. Muitas vezes passam noites em claro, achando que suas vidas não têm sentido.

Por isso são guerreiros da luz. Porque erram. Porque se perguntam. Porque procuram uma razão – e com certeza vão encontrá-la.

Usando a loucura a seu favor

Um guerreiro da luz estuda com muito cuidado a posição que pretende conquistar.

Por mais difícil que seja o seu objetivo, sempre existe uma maneira de superar os obstáculos. Ele verifica os caminhos alternativos, afia sua espada, e procura encher seu coração da perseverança necessária para enfrentar o desafio.

Mas, à medida que avança, o guerreiro se dá conta que existem dificuldades com as quais não contava.

Se ficar esperando o momento ideal, nunca sairá do lugar; porque muita gente vive lhe dizendo que é uma loucura fazer o que pretende.

O guerreiro então usa um pouco de loucura. Porque – na guerra e no amor – não é possível prever tudo.

Aceitando a solidão da luta

O guerreiro da luz sabe que ninguém é tolo, e a vida ensina a todos – mesmo que isto exija tempo.

Então ele trata seu próximo de acordo com qualidades que vê, e procura mostrar a todos o quanto cada um é capaz.

Alguns companheiros comentam: “Existem pessoas ingratas, você não devia ajudar os outros”.

O guerreiro não se abala com isso. E continua estimulando o seu próximo, porque é uma maneira de ajudar a si mesmo.

Tomando decisões com coragem

Um guerreiro da luz não adia suas decisões.

Ele reflete bastante antes de agir; considera seu treinamento, sua responsabilidade, e seu dever para com as pessoas que ama. Procura manter a serenidade, e analisa cada passo como se fosse o mais importante.

Entretanto, no momento em que toma uma decisão, o guerreiro segue adiante: não tem mais dúvidas sobre o que escolheu, nem muda de percurso se as circunstâncias forem diferentes do que imaginava. Tudo que faz é adaptar-se ao caminho, as vezes agindo com a solidez de uma rocha, as vezes deixando-se levar como as águas de um rio que sabe aonde vai.

Se sua decisão foi correta, vencerá o combate – mesmo que dure mais do que o previsto. Se sua decisão foi errada, ele será derrotado, e terá que recomeçar tudo de novo – com mais sabedoria.

Mas um guerreiro da luz, quando começa, vai até o fim.

Utilizando a energia

O guerreiro da luz sabe que é impossível viver em estado de completo relaxamento.

Aprendeu com o arqueiro que, para disparar sua flecha à distância, é preciso manter o arco bem esticado.

Aprendeu com as estrelas que só a explosão interior permite seu brilho.

O guerreiro repara que o cavalo, no momento de ultrapassar um obstáculo, contrai todos os seus músculos.

Por isso, jamais confunde tensão com nervosismo.