O presidente dos Estados Unidos, Barack Obama, qualificou como “ilegal” a convocação de um referendo pelo Parlamento da Crimeia para que os eleitores decidam se o território continuará a fazer parte da Ucrânia ou será reincorporado à Rússia.

Segundo Obama, o referendo convocado para 16 de março viola tanto a constituição ucraniana quanto as leis internacionais. Pouco antes, líderes da União Europeia (UE) emitiram nota na qual também qualificaram como “ilegal” a convocação do referendo.

Em breve pronunciamento na Casa Branca, Obama disse ainda que qualquer discussão referente ao futuro da Ucrânia precisa contar com a participação do governo “legítimo” do país e pediu ao Congresso que vote logo um pacote de ajuda econômica a Kiev. Fontes: Associated Press e Dow Jones Newswires.