O presidente americano, Barack Obama, disse hoje (07) que o último relatório oficial que indica que a economia dos Estados Unidos criou apenas 96 mil postos de trabalho no último mês “não é suficientemente bom”.

 

Em sua primeira atividade de campanha depois de seu discurso na Convenção Democrata que o proclamou candidato à reeleição, Obama observou que havia criado novos empregos durante 30 meses consecutivos, enquanto que quando assumiu o governo em 2009 eram perdidos 800 mil postos ao mês.

 

“Não é bom o suficiente. Precisamos criar mais empregos, mais rapidamente. Temos de tapar o buraco criado por essa recessão com mais rapidez”, disse Obama durante ato de campanha em Portsmouth, New Hampshire.

Ontem, na última noite da Convenção Nacional Democrata, Obama –que herdou em 2008 uma grande crise econômica– pediu “paciência”, reconhecendo que os indicadores “não ficarão positivos de um dia para o outro”. “A verdade é que precisamos mais do que alguns anos para resolver os problemas que se acumularam ao longo de décadas”, disse na noite de quinta-feira diante de milhares de delegados de seu partido, no último dia da Convenção Nacional Democrata, em Charlotte (Carolina do Norte, sudeste).

“Mas saibam que (…) os nossos problemas podem ser resolvidos. Nós podemos superar as dificuldades. O caminho que propomos pode ser mais difícil, mas nos leva a um mundo melhor”, assegurou o presidente.

Repercute

A economia americana criou apenas 96 mil postos de trabalho em agosto, segundo dados divulgados pelo governo. No entanto, de acordo com o presidente do Federal Reserve (Fed, banco central americano), Ben Bernanke, os Estados Unidos precisam de 100 mil a 110 mil novos postos de trabalho por mês para manter a taxa de desemprego estável e evitar que ela aumente.

O anúncio jogou ‘água fria’ na campanha de Obama depois do fim da Convenção Democrata, onde ele tentou convencer que a “mudança é possível”. “Se ontem à noite foi festa, esta manhã é a ressaca”, brincou, alguns minutos após o anúncio, o candidato republicano à Casa Branca, Mitt Romney.

“As promessas e a política do presidente Barack Obama não deram certo”, acrescentou em um comunicado. O republicano, que deve sua imensa fortuna a seu fundo de investimento Bain Capital, concentrou sua campanha na economia, enfatizando sua experiência no setor privado. Na Convenção Republicana no final de agosto, em Tampa, Flórida (sudeste), ele prometeu criar 12 milhões de empregos, se eleito.

Imprensa

A primeira-dama Michelle Obama cativou, o ex-presidente Bill Clinton entusiasmou e o vice-presidente Joe Biden comoveu, mas, no último dia da convenção, o discurso do presidente Barack Obama acabou decepcionando, segundo comentou hoje a imprensa americana.

Muitos analistas enfatizaram o contraste entre o desempenho do candidato democrata na noite de quinta-feira e os discurso que pronunciou em 2008 e que encantaram as massas tanto dentro como fora dos Estados Unidos.