O presidente dos Estados Unidos, Barack Obama, informou nesta sexta-feira que está enviando 100 soldados para Uganda, onde as tropas ajudarão o governo local a combater um exército guerrilheiro acusado de atrocidades. As tropas norte-americanas, que teoricamente ficarão sob supervisão das autoridades de Uganda, poderão ser enviadas para operações nos vizinhos Sudão do Sul, República Centro-Africana e República Democrática do Congo, disse Obama em menagem ao Congresso americano.

Os soldados dos EUA combaterão a guerrilha do Exército de Resistência do Senhor (LRA, na sigla em inglês), o qual é acusado de aterrorizar, assassinar, estuprar e sequestrar milhares de pessoas nos quatro países africanos. Dezenas de milhares de pessoas foram mortas nos 20 anos de guerra implacável que o LRA move contra o governo de Uganda no norte do país africano.

“Esses soldados irão atuar como conselheiros dos nossos parceiros que têm o objetivo de remover dos campos de batalha Joseph Kony e outros líderes do LRA”, disse Obama. Obama disse que os soldados dos EUA não participarão da luta propriamente dita contra o LRA e atuarão como conselheiros.

As informações são da Dow Jones.