O presidente eleito dos Estados Unidos, Barack Obama, e sua esposa Michelle, chegaram à Casa Branca na tarde desta segunda-feira (10) para uma visita, a primeira do democrata desde a sua esmagadora vitória eleitoral na semana passada. O presidente dos EUA, George W. Bush, e a primeira-dama Laura Bush, estavam no pórtico Norte da Casa Branca, onde saudaram o casal Obama. A visita durou menos de duas horas, e ambos não falaram com a imprensa. As principais questões foram discutidas em encontro fechado à imprensa.

Os jornalistas puderam apenas fazer fotografias do casal Bush recebendo o casal Obama. Mais tarde, fotos mostraram Bush e Obama andando sob as colunas nos jardins da Casa Branca, em direção ao Escritório Oval. Quando questionado no final da semana passada sobre o encontro com Bush, Obama respondeu: “Eu irei à Casa Branca com um espírito bipartidário e com a consciência de que tanto o presidente quanto vários líderes no Congresso reconhecem a severidade da situação e querem ver as coisas feitas”. Obama referia-se ao segundo pacote de socorro à economia.

 

Apenas dois meses e meio antes de Obama tomar posse como o 44º presidente dos EUA, e com o mundo enfrentando uma severa crise financeira, uma série de assuntos devem ter sido discutidos pelos dois líderes no encontro no Escritório Oval. Bush prometeu realizar uma transição tranqüila e o encontro foi uma das poucas chances dos dois discutirem diretamente os graves problemas que esperam o próximo presidente.

Josh Bolten, chefe da equipe de funcionários de Bush na Casa Branca, disse no início da visita que o atual mandatário e Obama estariam a sós quando se encontrassem no Escritório Oval. “Eu tenho certeza de que cada um terá uma série de assuntos para discutir”, disse Bolten. “Mas eu acredito que será algo muito pessoal para os dois. Eu acredito que o presidente tentará transmitir para o presidente eleito Obama a maneira como lida com algumas das questões mais importante do dia.”

Pacote econômico

Obama pediu na sexta-feira pela aprovação do segundo pacote de estímulo econômico, incluída uma extensão do seguro-desemprego. Se o segundo pacote não for aprovado, ele disse, será a sua primeira medida quando tomar posse em 20 de janeiro de 2009. O segundo pacote é apenas uma das potenciais fontes de tensão entre a nova administração e a antiga. A equipe de Obama já sugeriu que o presidente eleito pretende derrubar uma série de medidas da administração Bush logo após a posse.

“Existe uma série de coisas que um presidente pode fazer usando a autoridade executiva, sem a necessidade de esperar a ação do Congresso”, disse John Podestà, chefe da equipe de transição de Obama, à Fox News. Entre as medidas que seriam revertidas, estão a proibição das pesquisas com células-tronco e a permissão dada por Bush para explorar petróleo e gás em áreas ambientais sensíveis nos EUA. Com informações da Associated Press e da Dow Jones.