O pré-candidato presidencial democrata Barack Obama mudou o foco de suas atenções. Agora, concentra-se na disputa com o candidato do Partido Republicano, John McCain. A rival democrata de Obama, Hillary Clinton, tentava hoje manter sua candidatura em pé. Porém o senador negro tem uma dianteira aparentemente insuperável de delegados a seu favor

Obama, que a cada dia se aproxima mais do número suficiente para assegurar a indicação democrata, passou o Dia das Mães na sua casa em Chicago, longe da campanha. Já Hillary preferiu utilizar o dia para convencer eleitores da Virgínia Ocidental, antes das primárias de terça-feira (13).

A senadora por Nova York e sua filha, Chelsea, chegaram em meio a uma tempestade e sentaram-se na segunda fila de uma igreja metodista de Huntington. Escutaram então o sermão preparado para a data que homenageia as mães.

A campanha de Hillary parece depender de um milagre. Especialmente após Obama superá-la ontem também na importante contagem dos super delegados, membros do partido que podem escolher o candidato que quiser, independentemente das votações anteriores. Hillary começou a disputa com uma vantagem de 169 a 63, em número de super delegados. Ontem, viu o número deles que apóiam Obama chegar a 276, enquanto ela tem 271. Na busca pela indicação, Obama tem 1.864 delegados, e Hillary possui 1.697. Quem obtiver 2.025 delegados garante a nomeação democrata. A ex-primeira-dama torce por uma vitória arrasadora na Virgínia, para continuar viva na disputa.

Ontem, Obama fez campanha em Oregon, que terá primárias no dia 20. O senador por Illinois já disse estar disposto a debater com McCain, mais um sinal de que pretende alijar Hillary da disputa. Líderes democratas esperam uma solução rápida para o impasse. Para muitos deles, a longa disputa interna pode prejudicar o desempenho do candidato do partido na hora da disputa principal, com o republicano McCain.