O presidente dos Estados Unidos, Barack Obama, reiterou hoje seu apoio aos esforços para reconduzir o líder deposto Manuel Zelaya à presidência de Honduras, independentemente de o país da América Central se opor a diversas políticas de Washington. Num discurso a universitários em Moscou, na Rússia, o presidente norte-americano enfatizou que seu governo não indicará a outros países quem devem ser seus governantes.

De acordo com ele, os EUA não apoiam Zelaya por estarem “de acordo com ele, mas porque respeitam o princípio universal de que os povos devem eleger seus próprios líderes, concordemos com eles ou não”. Zelaya viaja hoje a Washington, onde será recebido pela secretária de Estado dos EUA, Hillary Clinton, disseram funcionários norte-americanos.

Zelaya foi destituído domingo do cargo por militares em cumprimento a uma ordem da Suprema Corte do país. A ação foi uma resposta à insistência dele em realizar um plebiscito para mudar a Constituição e permitir sua candidatura à reeleição. Os deputados de Honduras nomearam Roberto Micheletti, líder do Congresso, como novo presidente do país. As informações são da Associated Press.