O presidente dos Estados Unidos, Barack Obama, se encontrou líderes da Alemanha, França, Reino Unido, Itália e França nesta sexta-feira para discutir questões de segurança exterior e política externa. Esta é a última vez que Obama viaja à Europa e participa de um encontro do tipo como chefe de Estado.

Autoridades da Casa Branca afirmaram, antes do encontro, que a reunião deve avançar sobre assuntos como o combate ao grupo extremista Estado Islâmico, a crise de refugiados e os conflitos da Síria e na Ucrânia. Membros do governo alemão também disseram que a relação do Ocidente com a Rússia também estão na agenda.

“E certamente eles discutirão o resultado na eleição dos EUA”, afirmou Ben Rhodes, um dos conselheiros de Obama sobre segurança nacional.

Líderes europeus coçam a cabeça enquanto tentam projetar os possíveis impactos da chegada de Donald Trump à Casa Branca, no ano que vem, e devme questionar Obama sobre as intenções do sucessor, disseram observadores.

Durante sua campanha, Trump aventou a possível reaproximação com a Rússia e o presidente da Síria, Bashar Al-Assad, o que poderia entrar em conflito com a atual postura da Europa Ocidental em relação a Moscou e sua participação no conflito sírio. Líderes europeus também estão preocupados com a possibilidade de Trump pedir por um aumento dos gastos militares em seus países em troca da manutenção dos EUA dentro da Aliança do Tratado do Atlântico Norte (Otan).

Autoridades alemãs e britânicas afirmaram que o Brexit não está na lista dos assuntos a serem discutidos, mas que a chanceler alemã Angela Merkel e a primeira-ministra Theresa May devem abordar o assunto em uma das reuniões bilaterais que acontecerão paralelamente ao encontro com o presidente norte-americano. Fonte: Dow Jones Newswires.