O presidente dos Estados Unidos, Barack Obama, pretende devolver 5% do seu salário anual ao Tesouro do país, em um gesto simbólico de solidariedade aos funcionários federais que enfrentam possíveis férias coletivas ou demissões devido aos cortes automáticos de gastos que entraram em vigor em março.

A decisão de Obama, anunciada pela Casa Branca, será aplicada de forma retroativa para coincidir com o início dos cortes no mês passado e continuará por todo o ano. A taxa de 5% reflete o nível geral de cortes que entraram em vigor em 1º de março. O salário de Obama é de US$ 400 mil por ano.

O anúncio ocorre um dia após o secretário de Defesa dos EUA, Chuck Hagel, afirmar que vai voluntariamente abrir mão de parte do seu salário anual de US$ 200 mil, em solidariedade a cerca de 700 mil funcionários de seu departamento que terão férias coletivas não remuneradas este ano. As informações são da Dow Jones.