O primeiro-ministro de Israel, Ehud Olmert, e o presidente da Autoridade Nacional Palestina (ANP), Mahmud Abbas, voltaram a se reunir nesta segunda-feira em Jerusalém depois de quase dois meses sem nenhum encontro entre eles.

A reunião durou três horas. Olmert e Abbas haviam manifestado a intenção de usar o encontro desta segunda para recolocar nos trilhos o conturbado processo de paz, retomado no fim de um passado durante uma conferência patrocinada pelos Estados Unidos.

No entanto, eles passaram a maior parte do tempo discutindo as atividades de assentamento promovidas por Israel em áreas reivindicadas pelos palestinos, disse Saeb Erekat, um experiente negociador ligado a Abbas.

Olmert e Abbas prometeram voltar a se encontrar mais freqüência, preferencialmente a cada duas semanas, e reafirmaram o compromisso de buscar um pacto de paz até o fim deste ano, afirmou Mark Regev, porta-voz do governo israelense.

Durante a conferência de novembro do ano passado em Annapolis, Maryland, Olmert e Abbas prometeram alcançar um acordo definitivo de paz até o fim de 2008. Até o momento, porém, houve pouco progresso e as profundas divergências entre as partes fazem desse prazo uma meta aparentemente inatingível.

As negociações têm sido atrapalhadas pelos persistentes disparos de foguetes rústicos por parte de rebeldes palestinos na direção de Israel e pela continuidade das atividades israelenses de assentamento judaico em terras reivindicadas pelos palestinos.

Os dois líderes não se reuniam desde 19 de fevereiro. No mês passado, Abbas chegou a suspender sua participação no processo de paz depois de uma ofensiva militar israelense contra Gaza ter provocado a morte de mais de 120 palestinos, dos quais civis compunham a maioria.