Pelo menos dez pessoas ficaram feridas hoje após um ônibus explodir no centro de Tel Aviv, principal cidade de Israel. A explosão acontece em meio ao conflito entre israelenses e palestinos na faixa de Gaza.

Segundo a imprensa local, ainda não há informações sobre o que causou a destruição do veículo, mas a principal suspeita da polícia de Israel é que seja um atentado terrorista.

Imagens da TV israelense mostraram o ônibus com fumaça e janelas quebradas. Testemunhas dizem que a ação foi provocada por um homem, que colocou uma bomba no local e fugiu.

A ação acontece quando a ofensiva de Israel contra o movimento radical palestino Hamas completa uma semana. Desde o início dos confrontos, morreram mais de cem palestinos e cinco israelenses e pelo menos 700 ficaram feridos.

Ofensiva

Os ataques de Israel e os disparos de foguetes palestinos continuaram durante a madrugada na faixa de Gaza, mesmo com os esforços internacionais para acertar um cessar-fogo entre as partes.

Segundo o Exército israelense, foram atingidos cem alvos no território palestino, incluindo o Ministério de Segurança Interna do Hamas e um prédio que abriga escritórios da imprensa internacional.

O edifício, chamado Abu Khadra, abriga as sedes das agências de notícias France Presse e Associated Press e da emissora Al Jazeera, do Qatar.

A ação acontece após dois ataques, no domingo e na segunda, contra outro prédio de meios de comunicação na Cidade de Gaza, onde ficam as sedes da Al Aqsa, emissora do Hamas, e da britânica Skynews.

As outras áreas atingidas pelas tropas israelenses foram locais de lançamento de foguetes e postos de apoio para as forças do Hamas. Durante a noite, as milícias palestinas lançaram seis foguetes contra Israel, dois dos quais foram interceptados pelo sistema antimísseis.