A Organização das Nações Unidas (ONU) disse nesta quarta-feira (7) ter certeza de que não havia combatentes palestinos na escola atacada na terça por forças israelenses, em que mais de 40 pessoas foram mortas, informa a agência portuguesa Lusa.

Israel havia afirmado que disparou em direção à escola – a segunda atacada por bombas israelenses na terça -, porque lá estavam combatentes palestinos prontos para lançar morteiros contra suas tropas. No entanto a ONU nega a informação.

“Na seqüência de uma investigação preliminar, temos 99,9% de certeza de que não havia [na escola] nem ativistas nem atividades ativistas”, afirmou o porta-voz da agência da ONU para o auxílio a refugiados palestinos (UNRWA), Chris Gunness.

De acordo com ele, a organização optou por um inquérito independente para investigar se as leis de guerra foram violadas ou não. Ainda ontem, o secretário-geral da ONU, Ban Ki-moon, qualificou os ataques como “totalmente inaceitáveis”.