O Conselho de Segurança da Organização das Nações Unidas (ONU) estendeu hoje a missão de paz no Haiti por mais um ano, expressando preocupações com a crescente insegurança e pedindo por eleições “legítimas e transparentes” no país caribenho no próximo ano.

Uma resolução adotada por unanimidade pelo Conselho autoriza a força de paz a “apoiar o processo político em curso” e auxiliar o governo haitiano a preparar e conduzir as eleições presidenciais e legislativas. A resolução também pede à força que dê “proteção adequada à população civil, com atenção particular às necessidades de pessoas desabrigadas e outros grupos vulneráveis, especialmente mulheres e crianças”.

O Haiti, que é o país mais pobre do Hemisfério Ocidental, foi atingido em 12 de janeiro deste ano por um devastador terremoto, o qual matou mais de 300 mil pessoas e deixou milhões desabrigadas. O progresso para alojar de maneira permanente essas pessoas tem sido muito lento e mais de 1 milhão de haitianos permanecem sem-teto em meio a pilhas de detritos e escombros.

Uma investigação recente da Associated Press indicou que nem um centavo dos US$ 1,15 bilhão prometidos pelo governo dos Estados Unidos para a reconstrução no Haiti chegou ao país caribenho. No total, os países doadores prometeram US$ 10 bilhões para reconstruir o Haiti numa conferência feita em março. Com a decisão de hoje, a ONU manterá no Haiti até 15 de outubro de 2011 um contingente de 8.940 soldados e uma força internacional de 4.391 agentes policiais.