O Programa Mundial de Alimentos da Organização das Nações Unidas informou hoje que está intensificando sua missão humanitária no Níger, descrevendo a estiagem no país como uma “catástrofe”. “Estamos lutando contra o tempo para ampliá-la com rapidez suficiente para atender ao crescente número de pessoas com fome”, disse Josette Sheeran, diretora executiva da agência.

“Para suprir as necessidades do povo do Níger, estamos buscando contribuições em dinheiro urgentes e imediatas dos nossos doadores”, disse Josette, que viaja hoje para o Níger. O Programa Mundial de Alimentos angariou apenas cerca de metade dos quase US$ 213 milhões necessários para a operação, revelou a agência, em um comunicado.

Até 8 milhões de pessoas – mais de metade da população de 15 milhões do país africano – perderam safras e rebanhos por causa da seca, acrescentou o órgão. Josette alertou que agosto e setembro são meses “críticos”, e que crianças menores de dois anos precisavam de ajuda nutricional especial para conter os danos permanentes da desnutrição aguda. As informações são da Dow Jones.