A Organização das Nações Unidas (ONU) pede calma a colombianos e venezuelanos e se coloca à disposição para mediar um eventual diálogo entre os dois países sul-americanos para evitar uma escalada da tensão. “Estamos acompanhando com atenção a evolução da situação na América do Sul e nos colocamos à disposição, se nos for pedido, para mediar o diálogo”, afirmou ontem o secretário-geral da entidade, Ban Ki Moon.

O governo do presidente Alvaro Uribe anunciou na semana passada dispor de “provas contundentes” de que a guerrilha está usando o território venezuelano. O presidente venezuelano, Hugo Chávez, ameaçou “romper relações” com a Colômbia, o que fez eclodir mais uma crise na região, três semanas antes da posse do novo presidente colombiano, Juan Manuel Santos.

Chávez anunciou que não iria à posse de Santos e chamou Uribe de “mafioso”. As relações entre os dois países já estavam, segundo Chávez, “congeladas” depois que Uribe acusou um desvio de armas da Venezuela às forças guerrilheiras colombianas. A ONU quer colocar um fim à disputa. “As diferenças de opinião e de perspectiva podem existir. Mas essas diferenças precisam ser resolvidas com diálogo e em busca da paz”, disse Ban.