Os governos deveriam parar de gastar dinheiro com armas e passar a destinar tais recursos ao combate às mudanças climáticas, que desestabilizam diversos países, encorajam migrações em massa e elevam os riscos à segurança, propôs hoje a secretária das Nações Unidas para o clima, Christiana Figueres.

Christiana observou que os orçamentos militares aumentaram cerca de 50% nos primeiros nove anos do novo milênio e recomendou que, ao invés de gastarem com armas, os países deveriam considerar a criação de um “orçamento militar preventivo” com o objetivo de reduzir as emissões globais de gases causadores do efeito estufa.

Em fala perante o Parlamento espanhol, em Madri, a secretária da ONU afirmou que o aumento dos orçamentos militares nos últimos anos seria capaz de fornecer grande parte dos recursos necessários para ajudar países instáveis a se protegerem dos efeitos das mudanças climáticas.

Cientistas e analistas militares advertem há anos para a acentuação dos riscos provocados pelas mudanças climáticas em termos de defesa e segurança nacional.

Figueres defendeu que grande parte do dinheiro que hoje financia exércitos poderia ajudar a conter as emissões dos gases causadores do efeito estufa, o que permitiria aos países mais pobres das regiões mais vulneráveis e instáveis do mundo a fazer frente aos efeitos devastadores das mudanças climáticas. As informações são da Associated Press.