Os membros da Organização dos Países Exportadores de Petróleo (Opep) precisam que o petróleo custe cerca de US$ 100 por barril no mercado internacional para equilibrarem seus respectivos orçamentos, disse uma autoridade do Golfo Pérsico.

Como a média de preço do petróleo tipo Brent nos últimos meses ainda está em US$ 110 por barril, provavelmente o cartel ainda tem espaço de manobra e não precisará agir para sustentar o valor da commodity. A autoridade disse que, por causa disso, ainda é muito cedo para dizer se haverá uma reunião de emergência do grupo.

Na quinta-feira, preocupações com o vigor da economia mundial fizeram o preço do petróleo tipo Brent – mais utilizado como referência internacional – cair 5%. Na sexta-feira, houve leve recuperação. A volatilidade dos mercados, no entanto, gerou receios de que os produtores da commodity possam antecipar uma reunião prevista para dezembro.

Se houver uma mudança negativa na direção do mercado, “os membros da Opep vão avaliar” se devem se reunir, mas o grupo “não toma decisões de forma apressada”, disse a autoridade do Golfo, acrescentando que os países do cartel precisam do petróleo “na faixa dos US$ 100 por barril para manterem seus orçamentos equilibrados”.

Uma outra autoridade da Opep disse que embora ainda seja muito cedo para dizer se haverá uma reunião de emergência do cartel, os membros do grupo vão acompanhar de perto o efeito do rebaixamento no rating de crédito dos EUA sobre o mercado. As informações são da Dow Jones.