O primeiro-ministro da Itália, Silvio Berlusconi, informou nesta terça-feira (7) que as buscas por sobreviventes do terremoto que atingiu a região de Abruzzo na madrugada de ontem durarão mais 48 horas.

“As operações de resgates durarão outras 48 horas”, disse o premier durante uma entrevista coletiva que concedeu na cidade de L’Aquila, epicentro do temor. Segundo ele, somente depois deste período será possível “ter certeza” de que não há mais nenhuma possibilidade de encontrar pessoas sob os escombros.

O tremor, de 5,8 graus na escala Richter, ocorreu às 3h32 locais de segunda-feira (22h32 de domingo, no horário de Brasília) e, segundo o último balanço da Defesa Civil, deixou ao menos 179 mortos.

O premier afirmou, no entanto, que o número de vítimas fatais já chegou a “207, das quais 17 não foram identificadas”. Ainda de acordo com Berlusconi, mais de mil pessoas estão feridas, sendo 100 em estado grave. A Defesa Civil contabiliza, além disso, 17 mil desabrigados.

O premier informou que serão montadas “20 tendas com 16 cozinhas de campo que poderão hospedar 14.500 desabrigados”. Além disso, explicou que, a partir de amanhã, cerca de 1.500 técnicos inspecionarão as casas das áreas atingidas pelo abalo sísmico.

“Amanhã será iniciada a fase mais delicada, porque haverá uma intervenção nas casas para inspecionar os danos. Será feita uma inspeção cômodo por cômodo e há milhares de casas para examinar”, disse.

Durante a coletiva, o premier lembrou também dos policiais, voluntários e bombeiros que estão trabalhando no socorro às vítimas, e afirmou que “todos os operadores, sobretudo os bombeiros, foram muito corajosos”. “Devemos ser gratos e admirá-los”, enfatizou.

Berlusconi garantiu que estará na região “todos os dias” e “ficará à disposição” para qualquer necessidade. “Isto faz parte da minha atividade e do meu dever”, ressaltou.