A primeira-ministra do Reino Unido, Theresa May, chegou a um acordo com o Partido Democrático Unionista (DUP, na sigla em inglês), da Irlanda do Norte, nesta segunda-feira, conseguindo apoio suficiente a seu governo no Parlamento, a fim de que sua agenda legislativa seja aprovada. No entanto, partidos de oposição criticaram o movimento, tendo como principal alvo a injeção de fundos para a Irlanda do Norte em troca de apoio no Parlamento.

O arranjo provocou críticas vorazes dos líderes da Escócia do País de Gales, que dizem que seus países ganharam pouco, enquanto a Irlanda do Norte receberá uma bonança. Para eles, o acordo com o DUP ameaça o futuro do poder do governo.

Ian Blackford, líder do Partido Nacional Escocês, afirmou que seu partido fará todo o possível para garantir que a Escócia receba “sua participação justa” sob uma fórmula sobre como os fundos do governo britânico são compartilhados para a Inglaterra, a Escócia, o País de Gales e a Irlanda do Norte. “Depois de semanas de negociações secretas, os conservadores assinaram um acordo sujo com o DUP. Por anos, os conservadores foram cortando o orçamento e os serviços, mas, de repente, entram com um dinheiro mágico para ajudá-los a permanecer no poder.”

Já o primeiro-ministro do País de Gales, Carwyn Jones, pediu que o acordo “se afaste do compromisso de construir um país mais unido”. O pacote incluir 1 bilhão de libras de novos fundos e 500 milhões de libras de fundos previamente anunciados para ajudar a Irlanda do Norte a desenvolver projetos de infraestrutura, serviços de saúde e escolas. Isso deve permitir que May ganhe apoio necessário para sua agenda, dominada pelo Brexit, anunciada na semana passada no discurso da Rainha Elizabeth II.

Antes de ter pedido que as eleições britânicas fossem antecipadas, Theresa May desfrutava de uma clara maioria no Parlamento. No entanto, em vez de ganhar mais assentos, May acabou perdendo a maioria absoluta, com muitos eleitores voltando-se ao Partido Trabalhista, que ganhou força.

As diferenças de política entre os conservadores e o DUP foram minimizadas pela premiê britânica. O DUP é socialmente conservador, opondo-se ao aborto e ao casamento entre pessoas do mesmo sexo. Segundo May, ambas as partes “compartilham muitos valores” e têm muitos compromissos em comum. “Também compartilhamos o desejo de garantir um governo forte, capaz de implementar seu programa e prover questões como as negociações do Brexit, além de questões de segurança nacional”, disse a primeira-ministra. “Então, o acordo a que chegamos é muito, muito bom.”

O líder do opositor Partido Trabalhista, Jeremy Corbyn, disse que o acordo é adequado ao desejo de May de permanecer no poder, mas faz pouco para o país. “De onde vem o dinheiro para o acordo com o DUP? E todas as partes do Reino Unido receberão o necessário financiamento adicional que a Irlanda do Norte receberá como parte do acordo?”, questionou Corbyn. Fonte: Associated Press.