A oposição argentina denunciou a presidente Cristina Kirchner e seu marido, o ex-presidente Néstor Kirchner, à Justiça por suposto enriquecimento ilícito e por usar informações privilegiadas na compra de US$ 2 milhões em outubro de 2008. A denúncia, apresentada hoje pela Coalizão Cívica, acusa o casal de ter cometido o delito previsto no artigo 268, do Código Penal.

No inciso primeiro, o artigo prevê penas de um a seis anos de prisão ao funcionário público “que utilizar, com fins de lucro, para si ou para terceiros, informações ou dados de caráter reservado sobre os quais tenha tomado conhecimento devido ao cargo que ocupa”. O objetivo da denúncia é o de que a Justiça reabra as investigações sobre o crescimento da fortuna pessoal dos Kirchner.

A aquisição dos dólares por Néstor Kirchner ocorreu exatamente no ano em que a declaração de bens do casal apresentou um crescimento de 158% de seu patrimônio. No primeiro ano de mandato de Cristina, em 2008, o patrimônio do casal saltou de US$ 4,690 milhões para US$ 12,114 milhões.

Néstor Kirchner disse que comprou os dólares para pagar ações de um hotel em sua Província, El Calafate.