A Arábia Saudita, os Emirados Árabes Unidos, Bahrein e Egito aceitaram prolongar por 48 horas o ultimato de exigências para o Catar em meio a uma crise diplomática com o país. O Kuwait, que atua como mediador na questão, recebeu a resposta do Catar às exigências dos países para dar fim a um embargo e solicitou a extensão do prazo.

A lista de exigências, que pede entre outras coisas o fechamento do canal de televisão Al Jazira, a redução das relações com Teerã e o fechamento de uma base militar turca, foi enviada no dia 22 de junho a Doha, que tinha um prazo de 10 dias, até domingo à noite, para dar uma resposta.

Nesta segunda-feira, o ministro das Relações Exteriores do Catar, xeque Mohamed bin Abdulrahman Al-Thani, viajou ao Kuwait para entregar a resposta do país às exigências. Não se sabe o conteúdo da resposta, embora o emir do Kuwait, xeque Sabah al-Ahmad Al-Sabah, esteja mediando a crise diplomática.

Já as quatro nações árabes que cortaram relações com o Catar afirmaram, em comunicado conjunto após a entrega da carta, que esperam que o país responda às demandas mais tarde no dia. O novo prazo limite deve expirar no fim da terça-feira ou no começo da quarta-feira. Os ministros de Relações Exteriores dos quatro países se reunirão no Cairo na quarta-feira para discutir os próximos passos, informou um representante do Egito.

A Arábia Saudita, os Emirados Árabes Unidos, o Egito e o Bahrein cortaram relações com o Catar no dia 5 de junho, acusando o país de apoiar o terrorismo e sua aproximação com o Irã, rival na região da Arábia Saudita. Fonte: Associated Press.