O papa Bento XIV aceitou hoje o pedido de renúncia de um dos principais bispos da Alemanha, que é acusado de abusar de crianças e de desviar recursos financeiros de um orfanato. O bispo de Augsburgo, Walter Mixa, admitiu ter maltratado crianças décadas atrás, quando era padre. Mas o bispo também está sendo investigado pelas autoridades alemãs sobre um suposto caso de abuso sexual. O Vaticano limitou-se a dizer que a renúncia de Mixa foi aceita em respeito a uma regra que permite que os bispos se retirem caso se tornem inaptos ao serviço.

Mixa é o mais recente em uma série de casos de religiosos que deixam o cargo enquanto o Vaticano tenta desviar as alegações de que os bispos e outros clérigos na hierarquia da Igreja sistematicamente encobriram casos de abuso físico ou sexual de menores em vários países europeus. Em alguns casos, como o de Mixa, os próprios bispos afirmaram ter cometido abusos. O advogado de Mixa negou as alegações de abuso sexual. A promotoria alemã não deu mais detalhes sobre o caso.