O Papa Francisco teve uma recepção argentina este sábado em visita ao local de peregrinação mais importante do Paraguai, onde milhares de seus compatriotas se juntaram a outros milhares de fiéis paraguaios para uma missa.

As bandeiras azuis e brancas da Argentina e a camisa da seleção de futebol do país eram quase uma unanimidade entre os fiéis que lotaram a principal praça de Caacupé, distrito que abriga uma estátua da Virgem Maria bastante conhecida do Papa.

Quando ainda era o Arcebispo de Buenos Aires, o então cardeal Jorge Mario

Bergoglio visitava com frequência a favela Villa 21, onde vivem vários imigrantes paraguaios. Na época, ele se unia aos religiosos e celebrava batismos na igreja de Nossa Senhora dos Milagres de Caacupé.

“A Argentina é a terra natal dele, mas, como ele não está voltando pra casa ainda, estamos trazendo-a para ele”, disse Carmen Mesa, de 56 anos, que veio a pé de Clorinda, na Argentina, junto com outras doze pessoas.

Francisco decidiu não visitar a Argentina durante sua viagem à América do Sul, evitando se envolver com a política do país nas proximidades das eleições presidenciais. Ele prevê voltar para casa pela primeira vez ano que vem em uma viagem que incluirá ainda o Chile e o Uruguai.

A missa em Caacupé teve várias leituras na língua guarani, incluindo a de um trecho de Gênesis sobre Adão e Eva. O guarani é uma língua oficial do Paraguai, junto com o espanhol, e é falada não só pelos indígenas por uma grande parcela da população não-indígena.

O Papa ainda fez um elogio às mulheres paraguaias, dizendo que elas são “as mais gloriosas mulheres da América” porque elas ajudaram a reconstruir o país depois da guerra dos anos 1860. Ele dedicou a missa à todas as esposas e mães do Paraguai. Fonte: Associated Press.