O papa Francisco pediu a príncipes, presidentes, xeques e milhares de pessoas comuns que se reuniram para sua missa de entronização, nesta terça-feira, que protejam o meio ambiente, os mais fracos e pobres, indicando claramente suas prioridades como líder dos 1,2 bilhão de católicos de todo o mundo.

Nascido na Argentina, Francisco é o primeiro papa da América Latina e o primeiro cujo nome faz referência ao frei do século XII, são Francisco de Assis, cujo trabalho foi cuidar da natureza, dos pobres e dos desvalidos. Lembrando a gentileza pela qual são Francisco é conhecido, o papa disse que um pouco de ternura pode “abrir um horizonte de esperança”.

Segundo dados do Vaticano, entre 150 mil e 200 mil pessoas participaram da missa, realizada sob um céu azul após dias de chuvas frias, que agitavam bandeiras de várias partes do mundo. Numa faixa estava escrito “Shalom”, a palavra em hebraico para paz; em outra lia-se “Viva il Papa”, ou “viva o papa”.

Francisco foi interrompido por aplausos várias vezes durante sua homilia, dentre elas quando falou sobre a necessidade de proteger o meio ambiente, servir ao próximo com amor e não permitir que “presságios de destruição”, inveja, ódio e orgulho “contaminem nossas vidas”.

O papa disse que o papel do pontífice é abrir os braços e proteger toda a humanidade, mas “especialmente os mais pobres, os mais fracos, os menos importantes, aqueles a quem Mateus lista no julgamento final com amor: os famintos, os sedentos, os estrangeiros, os nus, os enfermos e os encarcerados”.

“Hoje, em meio a tal escuridão, precisamos ver a luz da esperança e sermos homens e mulheres que levem esperança aos outros”, disse ele. “Proteger a criação, proteger cada homem e cada mulher, olhar para eles com ternura e amor é abri um horizonte de esperança, é permitir que um raio de luz passe por meio de nuvens pesadas”, disse ele.

Antes do início da missa, Francisco recebeu o anel do pescador, que simboliza o papado e uma estola de lã, que simboliza seu papel como pastor de seu rebanho. Ele também recebeu os votos de obediência de seis cardeais, um símbolo forte, tendo em vista que seu antecessor, Bento XVI, ainda está vivo.

Um cardeal entoou o rito de posse, dizendo: “O Bom Pastor deu a Pedro a responsabilidade de alimentar seus cordeiros e sua ovelhas; hoje você o sucede como o bispo desta igreja”.

Cerca de 132 delegações participaram a missa, dentre elas alguns chefes de Estado da América Latina, um sinal do significado da eleição para a região. Francisco deixou claro que quer que seu pontificado seja concentrado nos pobres, mensagem que ressoa na região, onde estão 40% dos católicos de todo o mundo.

Dentre os convidados mais importantes estavam a chanceler alemã Angela Merkel, o vice-presidente dos Estados Unidos Joe Biden, a presidente argentina Cristina Kirchner, a presidente do Brasil Dilma Rousseff,

o presidente de Taiwan Ying-Jeou Ma, o presidente do Zimbábue Robert Mugabe, o príncipe Albert de Mônaco e o príncipe do Bahrein, xeque Abdullah bin Haman bin Isa Alkhalifa. As informações são da Associated Press.