O anúncio da captura do terrorista norte-americano e porta-voz da Al-Qaeda, Adam Gadahn, foi um engano. Autoridades paquistanesas disseram hoje que houve um erro de identificação e que o homem detido é Abu Yahya Majadin Adam, nome semelhante ao que aparece no site do FBI como um dos apelidos de Gadahn.

Gadahn, de 31 anos, é o norte-americano mais procurado da rede terrorista após aparecer em vários vídeos da Al-Qaeda ameaçando o Ocidente desde 2001. Ontem, o serviço de inteligência do Paquistão deixou vazar à imprensa a informação de que o terrorista havia sido preso, o que não se confirmou. “A semelhança do nome inicialmente causou a confusão, mas agora eles concluíram que não se trata de Gadahn”, disse um funcionário da inteligência, que falou em condição de anonimato.

As informações esclarecendo a identidade do homem foram dadas no mesmo dia em que um carro-bomba destruiu escritórios usados para interrogar supostos militantes em Lahore, leste do país, nesta segunda-feira. O número de mortos subiu para ao menos 13 pessoas. Mais de 65 pessoas ficaram feridas, também com a queda de prédios. O autor do ataque tentou lançar seu carro contra a unidade de investigações da segunda maior cidade paquistanesa.

As autoridades afirmaram que militantes ligados ao Taleban buscam desestabilizar o país. Uma onda de ataques similares matou mais de 130 pessoas em Lahore no ano passado. Um porta-voz do Tehreek-e-Taliban (TTP), uma facção ligada ao Taleban, assumiu a responsabilidade pelo ataque. “Nós continuaremos com esses atos no futuro”, afirmou o porta-voz. Segundo ele, o ato é uma vingança contra os ataques com aviões não tripulados dos Estados Unidos e as operações militares nas áreas tribais. Com informações da Dow Jones.