Os dois principais pré-candidatos da oposição paraguaia à presidência do país nas eleições de 2008, o ex-comandante do exército Lino César Oviedo e o ex-bispo católico Fernando Lugo, consideram o presidente da Venezuela, Hugo Chávez, um ditador, por ter impulsionado uma reforma da Constituição venezuelana "de acordo com seus interesses". Um debate com os pré-candidatos foi ao ar na noite de ontem no canal 13 de televisão do Paraguai e ocorreram trocas de acusações entre os participantes.

Nesta quarta-feira (21), o presidente do Paraguai, Nicanor Duarte, reintegrou Oviedo na sua categoria de militar, após a Suprema Corte ter absolvido o ex-comandante do exército paraguaio das acusações de sublevação militar em 1996 contra o então presidente Juan Carlos Wasmosy. "A Corte afirmou que não houve um golpe de Estado. Então, Oviedo volta à sua condição de militar e seguramente, de acordo com a lei castrense, receberá aposentadoria compulsória", com a patente de general de divisão.

Ante a pergunta do moderador do debate na televisão: "Chávez é um ditador?", Oviedo respondeu: "Para mim, Fidel Castro é um ditador e também Hugo Chávez será ditador, porque após chegar ao poder, como muitos outros, tenta mudar a Constituição de acordo com seus interesses para se manter no cargo". Já o ex-bispo Lugo se disse "de acordo" que Chávez seja um ditador, mas esclareceu que "o grande mérito de Chávez foi ter rompido o poder da oligarquia dominante na Venezuela".