O presidente dos Estados Unidos, Donald Trump, afirmou que a paralisação parcial das repartições públicas federais continuará enquanto os democratas se recusarem a erguer mais barreiras na fronteira do país com o México. “Eu não posso dizer quando o governo vai reabrir. Eu posso dizer que isso não vai acontecer até que tenhamos um muro ou uma cerca, seja lá o que eles quiserem chamar”, disse Trump a repórteres após um evento natalino na Casa Branca.

A paralisação da máquina publica dos EUA decorre de um impasse em torno do orçamento para defesa nas fronteiras. Os democratas se opõem a gastar dinheiro com o projeto do muro e pressionam por verbas para aprimorar o uso de tecnologia no controle de acesso na fronteira.

Líderes democratas do Congresso, o senador de Nova York, Chuck Schumer, e a deputada Nancy Pelosi, da Califórnia, culpam Trump pelo impasse e por “mergulhar o país no caos”. Em comunicado conjunto divulgado ontem, eles apontaram problemas além do shutdown, como as fortes perdas nos mercados acionários norte-americanos e a demissão do secretário de Defesa.

A Casa Branca apresentou a Schumer uma contraproposta sobre os valores pretendidos para o muro, segundo Mick Mulvaney, diretor do Escritório de Administração e Orçamento. Inicialmente, Trump exigia US$ 5,7 bilhões para o projeto. De acordo com um assessor democrata, que falou sob condição de anonimato, a Casa Branca fez uma contraproposta de US$ 2,5 bilhões – US$ 2,1 bilhões e mais US$ 400 milhões para outras prioridades relacionadas a imigração.

Mulvaney disse que aguarda uma resposta de Schumer mas, de acordo com o escritório do senador democrata, as partes permanecem “muito distantes”. Fonte: Associated Press.