O Parlamento da Romênia aprovou nesta quarta-feira a formação de um novo governo de esquerda liderado pelo primeiro-ministro Sorin Grindeanu, que prometeu impedir que milhares de romenos deixem o país, construir rodovias e encorajar o consumo de produtos locais.

Grundeanu, que venceu por 295 votos a 133, prometeu criar o que chamou de “uma Romênia normal”, um país “onde as pessoas tenham liberdades e direitos que a vasta maioria dos cidadãos europeus tem.”

O novo governo inclui um economista e também a primeira mulher a chegar ao gabinete. Sevil Shhaideh, no entanto, ocupará o cargo de vice-ministra de Desenvolvimento Regional. Seu nome foi vetado após o surgimento de que seu marido, de origem síria, trabalhou no Ministério da Agricultura do país e expressou apoio ao presidente Bashar Assad nas redes sociais. Sevil também é muçulmana, uma religião minoritária no país. Fonte: Associated Press.