O Parlamento Europeu pediu para a França hoje que suspenda a expulsão de ciganos. A rara crítica a um Estado membro do bloco foi apoiada por 337 parlamentares, em uma reunião em Estrasburgo, na França, e rejeitada por 245 deles. Houve 51 abstenções.

Paris acelerou sua antiga política de controle dos ciganos do Leste Europeu, chamados de Roma, e passou a mandá-los para casa em maior número. Funcionários desmantelaram mais de 100 acampamentos ilegais e expulsaram centenas de ciganos, a maioria para a Romênia e a Bulgária, países também membros da União Europeia (UE).

A política gerou críticas das Nações Unidas e da Igreja Católica. Muitos no Parlamento Europeu acusam Paris de ter como alvo os ciganos como um grupo, ignorando as garantias de Direitos Humanos essenciais do bloco europeu.