O partido Rússia Unida, pró-governo, dominou as eleições municipais em Moscou e em outros locais do país, de acordo com dados divulgados hoje. Com 99% dos votos apurados, o Rússia Unida obteve 66% dos votos e o Partido Comunista, 13%. Apenas as duas legendas conseguiram ultrapassar a barreira de 7% para obter representação na Câmara dos Vereadores da capital. Os candidatos da oposição reclamam que foram impedidos de fazer campanha em pé de igualdade e alguns nem mesmo puderam concorrer.

O Rússia Unida é a base de poder de Vladimir Putin, agora primeiro-ministro e chefe da sigla, que não descarta retornar à presidência em 2012. O presidente Dmitry Medvedev parabenizou os líderes partidários pela vitória “convincente”, que, segundo ele, mostrou “a autoridade que o partido adquiriu de nosso povo nos últimos anos”.

O liberal Partido Yabloko ficou com apenas 5% dos votos e não mais será representado na Câmara. A sigla era a única a fazer oposição ao prefeito de Moscou, Yuri Luzhkov. Os comunistas reclamaram de fraudes generalizadas, particularmente na capital. A polícia interrompeu um protesto em uma praça central de Moscou na tarde de hoje. Segundo um policial, 20 manifestantes foram detidos.