O primeiro-ministro da Grã-Bretanha, Gordon Brown, abriu mão ontem de seu direito constitucional de negociar primeiro a convocação de um novo gabinete, autorizando o líder do Partido Conservador, David Cameron, a tentar formar um governo de coalizão.

As discussões foram iniciadas ontem com o chefe do Partido Liberal, Nick Clegg, e podem se encerrar hoje, quando parlamentares do partido centrista se reunirão para debater a proposta.

O diálogo entre conservadores e liberais tem como objetivo tirar o país de seu maior impasse político desde 1974. A confusão foi causada pela divisão do Parlamento provocada pelas eleições de quinta-feira. Segundo os resultados finais das eleições, o Partido Conservador obteve a maior bancada, com 306 deputados, mas não a maioria absoluta do Parlamento – 326 votos -, que permitiria a Cameron tornar-se automaticamente o novo primeiro-ministro.

A situação jogou o país em um verdadeiro torneio de xadrez entre os três partidos. O primeiro movimento decisivo foi feito por Nick Clegg. Falando em seu quartel-general, em Cowley Street, em Londres, o liberal anunciou que aceitaria iniciar negociações com Cameron – respeitando a ordem dos candidatos estabelecida pelas urnas, mas quebrando uma tradição britânica.

“Acredito que agora seja o momento de o Partido Conservador provar que é capaz de tentar governar dentro do interesse nacional”, justificou. Mas ele condicionou um acordo à reforma do sistema eleitoral, que prejudica o desempenho de seu partido.

Sob o impacto dessa decisão, Brown convocou a imprensa para anunciar sua jogada política: abrir mão da prioridade de tentar negociar uma coalizão, deixando o caminho livre para o diálogo entre Cameron e Clegg.

O último movimento coube, então, ao líder conservador. Cameron anunciou uma proposta objetiva aos liberais. O candidato reforçou a intenção de dar prioridade à redução rápida dos impostos e aos investimentos em uma economia sustentável e acenou com a criação de um comitê interpartidário para discussão a reforma do sistema político.

Cameron e Clegg encontraram-se ontem para discutir os termos de um acordo. A resposta sobre se Cameron será o primeiro-ministro pode ser conhecida hoje, quando os parlamentares liberais se reunirão no Palácio de Westminster para debater a oferta.