Pelo menos 25 pessoas foram mortas no Iraque no fim de semana, em uma série de ataques com bombas e morteiros que visaram atrapalhar a segunda eleição nacional no país desde a queda do Saddam Hussein, em 2003.

 

No norte da capital, Bagdá, pelo menos 14 pessoas foram mortas quando uma explosão destruiu um prédio, enquanto ataques de morteiro no oeste da cidade mataram sete, de acordo com a polícia e hospitais. No noroeste da cidade três pessoas foram mortas por uma granada quando estavam indo votar.

Militantes prometeram atrapalhar a eleição que, de acordo com eles, dará legitimidade tanto a um governo dominado pelos xiitas quanto à invasão liderada pelos americanos.

Muitos analistas consideram a eleição um divisor de águas que decidirá se o país conseguirá ou não superar as divisões sectárias antes da retirada das tropas dos EUA, planejada para este ano.

Aproximadamente 19 milhões de iraquianos têm direito de votar nessa eleição, que escolherá 325 membros do parlamento. A violenta eleição de 2005 foi considerada um desastre. As informações são da Associated Press.